Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paróquia dos Álamos, Funchal

Que significa, hoje, a.C.-d.C.?

enterro 2019.png

 

«Morre-se uma vez só» — esconjuramos nós a morte. Jesus foi mais além, «porque, na morte que sofreu, Cristo morreu pra o pecado de uma vez pra sempre; mas a Sua vida é uma vida em Deus» (Rm 6,9).

Em 5.ª-Feira Santa não fingimos que Jesus ainda vai morrer em 6.ª-Feira Santa. Não fazemos ficção mas memória, anamnese. Esta tem oportunos sentidos:

* em geral, a ação de trazer à mente;

* ou, em Medicina, a informação sobre o princípio e evolução de uma doença até à primeira observação do médico (cf. dicionario.priberam.org);

* ou, finalmente, na Missa, a parte da oração eucarística a seguir à consagração, com o valor de memorial e oferecimento do sacrifício de Cristo (cf. sites.ecclesia.pt/catolicopedia).

Em estado de emergência, desapareceram os acontecimentos; permanece o evento: a Páscoa. Fazíamos memória, com os judeus, do êxodo aos primeiros anos trinta depois de Cristo nascer; desde então, celebramos o anual Tríduo Pascal da Sua Paixão, Morte e Ressurreição.

Não! A História não será dividida em «antes da Covid-19» e «depois da Covid-19». Será sempre unida: «antes de Cristo» e «depois de Cristo». O 1.º de todos os dias não se fundirá com o seu fim (de semana). Significando «do Senhor», o Domingo será sempre «Páscoa semanal» ou, na denominação oriental, «pequena Páscoa». A partir de uma qualquer 2.ª-feira, haverá «Páscoa quotidiana», no dizer de Santo Agostinho.

Pra entender toda a Páscoa é preciso contemplar o que é a nossa Páscoa anual, semanal ou diária: a Eucaristia. Na estrada semidesértica, vislumbramos um octógono vermelho; distinguimos nele contorno e «STOP» brancos. É um sinal; o significado é: «paragem obrigatória».

São Paulo transmitiu o que ele mesmo recebeu: a Ceia, nova e eterna Aliança, memorial da morte de Jesus. Semelhante perspetiva nos foi apresentada por São Mateus, São Marcos e São Lucas. Os 4 apontavam o sinal da Eucaristia; São João mostra-lhe o significado: o amor até ao fim, a unidade, o serviço de Jesus em favor dos irmãos. Aquele «fazei isto em memória de Mim» e este «como Eu vos fiz, fazei-o vós também» são o mesmo «mistério da fé pra salvação do mundo»; ao que respondemos: «Glória a Vós que mo­rrestes na cruz e agora viveis pra sempre. Salvador do mundo, salvai-nos. Vinde, Senhor, Jesus». Bem precisamos, sempre.

De 5.ª pra 6.ª-Feira Santa, fazemos memória da prisão e da Ceia do Senhor; de 6.ª pra Sábado Santo, adoramos a Sua cruz; da Vigília prò Domingo de Páscoa, a Sua Ressurreição. Esta é a noite da «diálysis» (dissolução do que é mau) da noite da tristeza, do jejum do desejo, da espera pela Eucaristia do Dia de Páscoa, que, todos os dias, celebraremos.

Até breve.

p.e Héctor

Oração de Comunhão espiritual de Santo Afonso Maria de Ligório

Quinta-feira Santa, à hora da Comunhão

Por Cristo.png

Ó Jesus, vinde e vivei em mim. Ó meu Jesus, eu creio que Vós estais no Santíssimo Sacramento. Amo-vos sobre todas as coisas e desejo que venhais à minha alma. Já que agora não Vos posso receber no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, ao meu coração. Como se já tivésseis vindo, eu vos abraço e me uno a Vós. Não permitais que eu jamais me separe de vós.

 

Vai correr tudo bem?

B. Pastor - auditório - Pontififícia Universidad

O Bom Pastor - misaico na Pontifícia Universidade  Lateanse, onde foi professor Antonio Napolioni.

 

— Vai correr tudo bem, come reza o “slogan”?

— À criança que caiu qualquer mãe diz que “não é nada”. Sabe que diz uma meia mentira. Somos estas crianças,  porém nos braços de Deus. Certamente esta situação é uma grande escola em relação aos nossos estilos de vida. É sabido que o País se une na dor, que se redescobrem as verdadeiras relações. Depois, estão a emergir recursos de humanidade e competência de que nos orgulhar.

— O que diz aos doentes?

— Que se entreguem, confiantes, a quem cuida deles. Sentindo que qualquer instante pode ser uma recuperação possível. Nem sempre isto acontece; contudo, é preciso manter viva a esperança.

— Que papel tem a Igreja nesta situação?

— É aquela mãe que conserva o sentido da vida, é este grande abraço que diz: “Vê, estamos a sair-nos bem”».

 

Traduzi de avvenire.it: «Coronavírus. O bispo Napolioni, curado, conta a sua experiência no hospita - Maria Chiara Gamba, Cremona, quarta-feira, 18 de março de 2020 - O pastor de Cremona: “Encontrei grande humanidade e competência. Todos os padres estão a fazer bem aquilo que é possível; permanecer à disposição das pessoas, sobretudo as mais sós”.

 

«É em tua casa que Eu quero celebrar a Páscoa com os Meus discípulos.»

paróquia dos Álamos, do ar.pngleste
/\
  sul < > norte
\/
oeste

A paróquia dos Álamos tem os seguintes «limites:

norte — serras limites do concelho do Funchal desde o ribeiro da Água de Mel ou do Galeão até à ribeira de Santo António;

sul — confluência do ribeiro da Penteada e da ribeira de Santo António;

leste — linha de Água do ribeiro da Penteada e do ribeiro da Água de Mel ou do Galeão até à sua nascente;

oeste — linha de água da ribeira de Santo António até à sua nascente»

(Dom David de Sousa - Decreto sobre a Actualização das Paróquias, Funchal: 1960, pp. 3-4).

 

4ª-feira da Semana Santa, 7abr2020

18h — Missa <-/ à porta fechada :-(

\|/

CANTEMOS TODOS

 

->]¯Entrada¯ ML-CT96

Bendito, bendito o que vem em nome do Senhor.

4 Para nós escolheu nossa bendita herança: * a glória de sermos seu povo bem-amado.

5 O Senhor Deus se eleva por en­tre aclamações. * O Senhor Deus se e­leva ao som das trombetas.

6 Cantai ao nosso Deus um salmo de louvor! * Cantai ao nosso Rei um salmo de alegria!

7 Porque o Senhor é Rei que reina sobre o mundo, * cantai ao Senhor um hino jubiloso!

8 Deus reina sobre os povos num trono de justiça * Todos os reis do mundo juntaram­‑se ao seu povo.

 

COLETA| Senhor nosso Deus, que, para nos libertar do poder do inimigo, quisestes que o vosso Filho sofresse o suplício da cruz, concedei aos vossos servos a graça da ressurreição. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

\./ PALAVRA DO SENHOR_._

 

1ª LEITURA | Is 50, 4-9a

«Não desviei o meu rosto dos que Me insultavam»

(Terceiro cântico do Servo do Senhor)

É o terceiro Cântico do Servo do Senhor. Jesus é esse Servo, humilhado, desprezado, insultado pelos homens; mas, no meio de toda essa fraqueza, Ele é o triunfador, porque o Pai está com Ele. O Pai O exaltará.

Leitura do Livro de Isaías

O Senhor deu-me a graça de falar como um discípulo, para que eu saiba dizer uma palavra de alento aos que andam abatidos. Todas as manhãs Ele desperta os meus ouvidos, para eu escutar, como escutam os discípulos. O Senhor Deus abriu-me os ouvidos e eu não resisti nem recuei um passo. Apresentei as costas àqueles que me batiam e a face aos que me arrancavam a barba; não desviei o meu rosto dos que me insultavam e cuspiam. Mas o Senhor Deus veio em meu auxílio, e por isso não fiquei envergonhado; tornei o meu rosto duro como pedra, e sei que não ficarei desiludido. O meu advogado está perto de mim. Pretende alguém instaurar-me um processo? Compareçamos juntos. Quem é o meu adversário? Que se apresente! O Senhor Deus vem em meu auxílio. Quem ousará condenar-me?

Palavra do Senhor.

 

RESPONSORIAL| (Refrão:) Pela vossa grande misericórdia, no tempo da graça, atendei-me, Senhor. (Repete-se.) + Salmo 68 (69), 8-10.21bcd-22.31.33-34 (R. 14 c b)

Por Vós tenho suportado afrontas,

cobrindo-se meu rosto de confusão.

Tornei-me um estranho para os meus irmãos,

um desconhecido para a minha família.

Devorou-me o zelo da vossa casa

e recaíram sobre mim os insultos contra Vós. (Repete-se o refrão.)

O insulto despedaçou-me o coração

e eu desfaleço.

Esperei por compaixão e não apareceu,

nem encontrei quem me consolasse.

Misturaram-me fel na comida

e deram-me vinagre a beber. (Repete-se o refrão.)

Louvarei com cânticos o nome de Deus

e em acção de graças O glorificarei.

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos,

buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará.

O Senhor ouve os pobres

e não despreza os cativos. Refrão (Repete-se o refrão.)

 

ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO |

(Refrão:) Glória a Vós, Jesus Cristo, Palavra do Pai. (Repete-se.)

(Antífona:) Salve, Senhor, nosso Rei;

só Vós tivestes piedade dos nossos erros. (Repete-se o refrão.)

 

EVANGELHO| Mt 26, 14-25

«O Filho do homem vai partir, como está escrito.

Mas ai daquele por quem vai ser entregue!»

A traição de Judas é o inicio da Paixão. Esta traição é denunciada por Jesus durante a refeição em que celebra a Páscoa e institui a Eucaristia. Deste modo, a libertação é trazida por Jesus aos homens, ao mesmo tempo em que o homem O atraiçoa e lhe dá a morte. Esta leitura está dominada pela ideia das ‘entregas’: a ‘entrega’ ou “traição” que Judas faz de Jesus, e a ‘entrega’ que Jesus faz de Si mesmo na sua Páscoa, da qual já amanhã fará entrega aos seus discípulos na Eucaristia.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo, um dos Doze, chamado Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e disse-lhes: «Que estais dispostos a dar-me para vos entregar Jesus?» Eles garantiram-lhe trinta moedas de prata. A partir de então, Judas procurava uma oportunidade para O entregar. No primeiro dia dos Ázimos, os discípulos foram ter com Jesus e perguntaram-Lhe: «Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?» Ele respondeu: «Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo. É em tua casa que Eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos’». Os discípulos fizeram como Jesus lhes tinha mandado e prepararam a Páscoa. Ao cair da tarde, sentou-Se à mesa com os Doze. Enquanto comiam, declarou: «Em verdade, em verdade vos digo: Um de vós Me entregará». Profundamente entristecidos, começou cada um a perguntar Lhe: «Serei eu, Senhor?» Jesus respondeu: «Aquele que meteu comigo a mão no prato é que vai entregar-Me. O Filho do homem vai partir, como está escrito acerca d’Ele. Mas ai daquele por quem o Filho do homem vai ser entregue! Melhor seria para esse homem não ter nascido». Judas, que O ia entregar, tomou a palavra e perguntou: «Serei eu, Mestre?» Respondeu Jesus: «Tu o disseste».

Palavra da salvação.

 

[><] ¯Apresentação dos Dons¯cs-CT135

Onde haja caridade e amor, aí habita Deus.

1 Aqui nos reuniu o amor de Cristo: * alegremo-nos e n’ Ele rejubile­mos; * respeitemos amoro­sa­men­te o nosso Deus * e amemo‑nos na lealdade do coração.

 

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS | Aceitai, Senhor, os dons que Vos oferecemos e fazei que, ao celebrarmos os mistérios da paixão de Cristo, alcancemos a plenitude dos seus frutos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

[<>] ¯Comunhão¯ MF-NCT147

|:Se muito pesa, irmãos, a vos­sa cruz, * vinde connos­co receber Jesus. :|2X

1 A divina Eucaristia, * reconfor­tan­te ma­ná, * faz prelibar a alegria * que no céu se gozará.

2 No divino Sacramento * realmente es­tá Jesus. * Tornou-se nosso ali­men­to * Quem por nós morreu na Cruz.

3 Nessa hóstia branca e pura, * ouvi o nosso clamor: * Por vossa morte tão dura, * vinde acalmar nossa dor.

 

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO | Senhor nosso Deus, dai-nos a graça de acreditar firmemente que, pela morte temporal do vosso Filho, proclamada nestes santos mistérios, recebemos das vossas mãos o penhor da vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

[->¯Final¯DJ-CT412

|:Hossana! Tu reinarás! * na cruz Tu nos salvarás.:|2X

4 Queremos morrer na Cruz, * que a cruz é o preço da vida, * no meio de nós, Jesus, * o fruto da Igreja u­nida.

5 O mundo acreditará * em Jesus, verdade e bem. * E Cristo triunfa­rá * com Maria, nossa Mãe!

 

Mão do Senhor

Não deixe pela igreja; leve a alguém.

Paróquia dos Álamos

caminho da Azinhaga, 3 * 9020-067 Funchal

Ŧ 291751451; hectoralamos@sapo.pt;

facebook.com/alamosparoquia

alamos.blogs.sapo.pt

 

Pra REINAR em Jesus , sugerimos a cada batizado e famílias: ligar aos padrinhos, familiares, amigos, à comunidade...

Por vezes, temos próximo os familiares e não percebemos a importância disso.

Napolioni.png

 

«[Maria Chiara Gamba] — Desta experiência, o que vai levar dentro de si?

[D. ANTONIO NAPOLIONI] — É cedo pra me aperceber disso. Nos meses passados, pensava pra comigo que o bispo se deve identificar com as pessoas. Nas Marche (Marcas, na Itália central) lidava com o terremoto, em Cremona pensava em possíveis aluviões, não certamente numa pandemia viral. É a vida que nos pede pra partilhar a realidade. Não há tempo pra fazer demasiados raciocínios. Na realidade nunca é proibido amar e gastar-se ou até suportar apenas.

— Mudará algo no seu modo de ser bispo?

— O Senhor quer evidentemente que o meu serviço continue. Veremos como, à luz desta vivência. Mais que como bispo, deve mudar algo no olhar de todos pra ver a realidade. Amiúde, olhamo-la como espetadores. Este ser obrigado a estar em casa, a prestar atenção às ações mais elementares, a parar uma vida frenética, a olhar-se nos olhos faz bem a todos.

— O que sugere aos padres nesta emergência?

— Todos os padres estão a fazer bem aquilo que é possível: permanecer à disposição das pessoas, sobretudo as mais sós. Depois há a tecnologia, que é um canal pra chegar às pessoas com a Palavra de Deus. É preciso reinventar a própria jornada. Não é necessariamente um mal. É uma Quaresma absurda mas, em certa perspetiva, perfeita. Jesus está no deserto durante quarenta dias, luta com o diabo. A Quaresma não é a beleza dos ritos, mas é o mistério profundo do mal, da morte e do desespero que aqui estão; mas também do Senhor, que aqui está. É preciso reconhecer a Sua presença.

— Come se consegue reconhecer esta presença perante pessoas que morrem sós, sem familiares numa cama de hospital?

— Até hoje vivemos, durante anos, uma situação privilegiada. Os nossos pais e avós passaram pela guerra, passaram por uma epopeia de violência e de santidade. Não estávamos habituados, mas podemos reagir. Certamente desconcerta; contudo, a realidade espiritual é de tal modo encarnada que Cristo estava ali, muito mais que os familiares. Por vezes, temos próximo os familiares e não percebemos a importância disso. Deixemos que o Senhor console todos».

 

Traduzi de avvenire.it.

(Recordemos: «Coronavírus. O bispo Napolioni, curado, conta a sua experiência no hospital

Maria Chiara Gamba, Cremona, quarta-feira, 18 de março de 2020

O pastor de Cremona: “Encontrei grande humanidade e competência. Todos os padres estão a fazer bem aquilo que é possível; permanecer à disposição das pessoas, sobretudo as mais sós”.

Bispo de Cremona, D. Antonio Napolioni

A voz está ainda cansada, nas suas palavras lê-se a fadiga de quem, pouco a pouco, se reergue. Mas a força anímica e o espírito do homem de fé prevalece. D. Antonio Napolioni, bispo de Cremona, afetado pela Covid–19, regressou, após 10 dias hospitalizado, ao paço episcopal, onde continuará em quarentena. Tinha-se recuperado no Ospedale Maggiore di Cremona, sexta-feira, 7 de março, revelando sintomas de uma pneumonia compatível com o coronavírus. Poucos dias depois, tinha chegado a confirmação mas as terapias já tinham começado pra combater esta praga, que aflige também a sua cidade. Segunda-feira, Napolioni regressou a casa, seguido pelo afeto da sua diocese, e ontem [17 de maio de 2020], por meio das redes sociais, publicou também uma mensagem, em que sublinha que “a Páscoa restaurará a esperança e nos porá, juntos, a caminho”.)

Marta parou, Lázaro ressuscitou, Maria unge Jesus

Missa da 2.ª-feira da Semana Santa, 6abr2020

\|/

 CANTEMOS TODOS

 ->]¯Entrada¯ ML-CT96

Bendito, bendito o que vem em nome do Senhor.

1 Aplaudi o Senhor, povos de todo o mundo; * aclamai o Senhor com brados de alegria.

2 Excelso é o Senhor, excelso e portentoso! * É poderoso Rei que reina sobre o mundo!

COLETA| Olhai, Senhor, para a fragilidade da nossa natureza mortal e fortalecei a esperança dos vossos fiéis pelos méritos do vosso Filho Unigénito, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

\./ PALAVRA DO SENHOR_._

1ª LEITURA | Is 42, 1-7

«Não gritará, nem fará ouvir a sua voz»

(Primeiro cântico do Servo do Senhor)

Esta leitura é o “Primeiro Cântico do Servo do Senhor”, o primeiro de uma série de quatro cânticos que serão lidos durante esta semana. Celebram eles os desígnios de Deus, realizados, primeiro, no seu povo de Israel e, finalmente, e de maneira definitiva, no Messias, Jesus, o Servo de Deus, o Salvador. Este primeiro cântico celebra a vocação do Servo de Deus, que é o enlevo do Pai, sobre quem repousa o Espírito de Deus, e Aquele que o Pai envia para ser a luz e a salvação dos homens, como logo canta o salmo.

 

Leitura do Livro de Isaías

«Eis o meu servo, a quem Eu protejo, o meu eleito, enlevo da minha alma. Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações. Não gritará, nem levantará a voz, nem se fará ouvir nas praças; não quebrará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega: mas proclamará fielmente a justiça. Não desfalecerá nem desistirá, enquanto não estabelecer a justiça na terra, a doutrina que as ilhas longínquas esperam». Assim fala o Senhor Deus, que criou e estendeu os céus, consolidou a terra e o que ela produz, dá vida ao povo que a habita e respiração aos que sobre ela caminham: «Fui Eu, o Senhor, que te chamei segundo a justiça; tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações, para abrires os olhos aos cegos, tirares do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas».

Palavra do Senhor.

 

RESPONSORIAL|

(Refrão:) O Senhor é a minha luz e a minha salvação. (Repete-se.)

+ Salmo 26 (27), 1.2.3.13-14 (R. 1a)

O Senhor é minha luz e salvação:

a quem hei de temer?

O Senhor é protetor da minha vida:

de quem hei de ter medo? (Repete-se o refrão.)

Quando os malvados me assaltaram

para devorar a minha carne,

foram eles, meus inimigos e adversários,

que vacilaram e caíram. (Repete-se o refrão.)

 

Se um exército me vier cercar,

o meu coração não temerá.

Se contra mim travarem batalha,

mesmo assim terei confiança. (Repete-se o refrão.)

 

Espero vir a contemplar a bondade do Senhor

na terra dos vivos.

Confia no Senhor, sê forte.

Tem coragem e confia no Senhor. (Repete-se o refrão.)

ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO

(Refrão:) Louvor e glória a Vós, Jesus Cristo, Senhor.

(Repete-se o refrão.)

(Antífona:) Salve, Senhor, nosso Rei;

só Vós tivestes piedade dos nossos erros. Refrão

(Repete-se o refrão)

EVANGELHO| João 12, 1-11

«Deixa-a em paz:

ela tinha guardado o perfume para o dia da minha sepultura»

 

A leitura situa-nos exatamente no dia de hoje, falando à maneira judaica: seis dias antes da Páscoa. O ambiente da casa dos três irmãos, amigos de Jesus, é todo de amizade, mas também de pressentimento da morte. No entanto, tudo respira imensa paz, a paz do Mistério Pascal. O gesto de Maria manifesta o amor pelo Mestre, que dá a vida pelos homens. Ao contrário, a interpretação de Judas é cheia de ódio mal disfarçado.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde vivia Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos. Ofereceram-Lhe lá um jantar: Marta andava a servir e Lázaro era um dos que estavam à mesa com Jesus. Então Maria tomou uma libra de perfume de nardo puro, de alto preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-Lhos com os cabelos; e a casa encheu-se com o perfume do bálsamo. Disse então Judas Iscariotes, um dos discípulos, aquele que havia de entregar Jesus: «Porque não se vendeu este perfume por trezentos denários, para dar aos pobres?» Disse isto, não porque se importava com os pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa comum, tirava o que nela se lançava. Jesus respondeu-lhe: «Deixa-a em paz: ela tinha guardado o perfume para o dia da minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco; mas a Mim, nem sempre Me tereis». Soube então grande número de judeus que Jesus Se encontrava ali e vieram, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Ele tinha ressuscitado dos mortos. Entretanto, os príncipes dos sacerdotes resolveram matar também Lázaro, porque muitos judeus, por causa dele, se afastavam e acreditavam em Jesus.

Palavra da salvação.

[><] ¯Apresentação dos Dons¯cs-CT135

Onde haja caridade e amor, aí habita Deus.

1 Aqui nos reuniu o amor de Cristo: * alegremo-nos e n’ Ele rejubile­mos; * respeitemos amoro­sa­men­te o nosso Deus * e amemo‑nos na lealdade do coração.

2 Assim reunidos uns aos ou­tros, * não nos separemos pela discór­dia: * longe de nós dissen­sões e con­tendas: * esteja con­nosco o Se­nhor, Jesus Cristo.

 

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS | Olhai benignamente, Senhor, para os sagrados mistérios que celebramos e fazei que seja fonte de vida eterna o sacramento que instituístes para remissão dos nossos pecados. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

[->¯Final¯DJ-CT412

|:Hossana! Tu reinarás! *

na cruz Tu nos salvarás.:|2X

1 Irmãos, unidos no amor, * cantai um hino de glória, * um cântico de louvor. * A Cristo cantai vitória.

2 Cantai, belas criaturas, * um hino ao Criador: * Hossana lá nas altu­ras! * Hossana a Cristo Senhor!

 

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO | Visitai, Senhor, o povo santificado por estes mistérios e defendei-o com paternal bondade, para que conserve sempre, como remédio de salvação eterna, os dons recebidos da vossa misericórdia. Por Nosso Senhor.

 

Mão do Senhor

Não deixe pela igreja; leve a alguém.

Paróquia dos Álamos

caminho da Azinhaga, 3 * 9020-067 Funchal

Ŧ 291751451; hectoralamos@sapo.pt;

facebook.com/alamosparoquia

alamos.blogs.sapo.pt

 

Pra REINAR em Jesus , sugerimos a cada batizado e famílias: ligar aos padrinhos, familiares, amigos, à comunidade...

Desperta e...

Levanta-te!.png

Olá, paroquiano dos Álamos.

Iniciamos a Semana Santa.  Em emergência, celebro no mesmo horário (Domingo, 9h e 11h, e de 2.ª a sábado, 18h), na igreja (fechada), em facebook.com/alamosparoquia e alamos.blogs.sapo.pt.

Também pode ver a RTP2 (4.ª, 15h) e a RTP Madeira, 5.ª e 6ª (16h30) e Domingo (12h).

Conservo o seu ramo benzido...

Até ser livre sair de casa!

O pároco

Precisamos de Vós pra vencermos o medo e procuramos o Vosso corpo, VIVO na Comunidade, na Palavra e no Sacramento

Via Sacra, Via de Fé

Cf. Comissariado da Terra Santa, 2020, com canto tradicional na Paróquia dos Álamos

A_morrer_crucificado--VIA-SACRA.jpg

 

P: I Estação — Jesus é condenado à morte. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São Marcos (15,15), «Pilatos, então, querendo contentar a multidão, soltou‑lhes Barrabás e, depois de fazer açoitar a Jesus, entregou‑O pra ser crucificado».

P: Jesus, tende piedade de nós, enquanto percorremos Convosco este caminho de sofrimento; Vós que sois Deus com o Pai...

 

P: II Estação — Jesus carrega a cruz. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São Marcos (15,16-20), «os soldados o levaram ao interior do palácio, isto é, do Pretório, e convocaram toda a coorte. Em seguida, vestiram-no de púrpura e tecendo uma coroa de espinhos, lha impuseram. E começaram a saudá-lo: “Salve, rei do judeus!” E batiam-lhe na cabeça com caniço. Cuspiam n’Ele e, de joelhos, o adoravam. Depois de caçoarem d’Ele, despiram-lhe a púrpura e tornaram a vesti-Lo com as suas próprias vestes. E levaram-No fora pra que O crucificassem».

P: Jesus, ensinai‑nos a levar a nossa cruz pra que possamos viver a Vossa liberdade durante toda a nossa vida; Vós que sois Deus com Pai...

 

P: III Estação — Jesus cai pela primeira vez. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo o profeta Isaías (53,4), «o Servo do Senhor «suportou as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças».

P: Jesus, que a Vossa presença e a Vossa palavra inspirem a nossa vigília e a nossa oração no momento de decidir e ser firme; Vós que sois Deus com o Pai...

página 2

 

IV Estação — Jesus encontra a sua mãe. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que,, pela Vossa santa cruz,, remistes o mundo.

L: Segundo São Marcos (3,35) Jesus dissera: «Aquele que fizer a vontade de Meu Pai, esse é Meu irmão e Minha mãe», como Maria.

P: Nós Vos agradecemos, Jesus, por Vos juntardes a Vossa Mãe na sua grande angústia; Vós que dois Deus...  

 

P: V Estação — Simão de Cirene leva a cruz de Jesus. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que,, pela Vossa santa cruz,, remistes o mundo.

L: Segundo São Marcos, «Requisitaram, pra Lhe levar a cruz, um homem que passava, vindo do campo, Simão de Cirene, pai de Alexandre e Rufo».

P: Jesus, dai‑nos coragem de ajudar aqueles cujas dores e necessidades são maiores que as nossas; Vós que sois Deus...  

 

P: VI Estação — A Verónica enxuga o rosto de Jesus . Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo o profeta Isaías (53,2‑3a), vimos o Servo do Senhor: «sem aspeto atraente, desprezado e rejeitado pelos homens, como um homem de dores, experimentado nos sofrimentos, de quem os homens escondiam o rosto», ao contrário de Verónica, que limpa o rosto de Jesus.

Jesus, mantende os nossos olhos abertos pra que possamos ver a vossa imagem no rosto de quem encontrarmos; Vós que sois Deus...

 

P: VII Estação — Jesus cai pela segunda vez. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo o profeta Isaías (53,5), o Servo do Senhor «foi trespassado por causa das nossas transgressões, esmagado em virtude das nossas iniquidades. O castigo que havia de trazer‑nos a paz, caiu sobre ele, sim, por suas feridas fomos curados».

P: Jesus, alcançai‑nos a verdadeira adoração ao Vosso Pai e a confiança na Sua vontade; Vós que sois Deus...

 

P: VIII Estação — Jesus consola as mulheres de Jerusalém. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

página 3

 

L: Segundo São Lucas (23,27‑28), quando Jesus levava o madeiro, «grande multidão do povo O seguia, como também mulheres que batiam no peito e se lamentavam por causa dele. Jesus, porém, voltou‑Se pra elas e disse: "Filhas de Jerusalém, não choreis por Mim; chorai, antes, por vós mesmas e por vossos filhos!”».

P: Jesus, nós Vos agradecemos por tomardes sobre Vós o sofrimento e dardes esperança a todas as mulheres; Vós que sois Deus...

 

P: IX Estação — Jesus cai pela terceira vez. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo o profeta Isaías (53,6), «todos nós, como ovelhas, andávamos errantes, seguindo cada um o seu próprio caminho, mas Iahweh fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós».

Jesus, que a Vossa absoluta confiança na bondade e na presença do Pai dos Céus nos ilumine e dê coragem; Vós que sois Deus com o Pai...

 

P: X Estação — Jesus é despojado das Suas vestes. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São Mateus (27,35‑38), «após crucificarem Jesus, os soldados «repartiram entre si as Suas vestes, lançando a sorte. E, sentando‑se, ali Lhe montavam guarda. E colocaram acima da Sua cabeça, por escrito, o motivo da Sua condenação: "Este é Jesus, o Rei dos judeus". Com Ele foram crucificados dois ladrões, um à direita, outro à esquerda».

P: Pai, fazei‑nos generosos e capazes de demolir as barreiras que tiram a dignidade ao homem; por Nosso Senhor Jesus...

 

P: XI Estação — Jesus é pregado na cruz. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São Marcos (15,23‑24), «levaram Jesus ao lugar chamado Gólgota, que, traduzido, quer dizer o lugar da Caveira. Deram‑Lhe vinho com mirra, que Ele não tomou. Então O crucificaram».

P: Pai, dai‑nos a Vossa misericórdia pra nos libertarmos de atividade e apego vãos e nos decidirmos pelo caminho da liberdade aberta pela obediência de Vosso Filho, que é Deus Convosco...

P: XII Estação — Jesus morre na cruz . Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São Lucas (23,44‑49), «era já mais ou menos a hora sexta quando houve treva sobre a terra inteira até à hora nona, tendo desaparecido o sol. O véu do Santuário rasgou‑se ao meio, e Jesus deu um grande grito: "Pai, em Tuas mãos entrego o meu espírito". Dizendo isso, expirou. O centurião, vendo o que acontecera, glorificava a Deus, dizendo: "Realmente, este homem era um justo!" E toda a multidão que havia acorrido prò espetáculo, vendo o que havia acontecido, voltou, batendo no peito. Todos os Seus amigos, bem como as mulheres que o haviam acompanhado desde a Galileia, permaneciam à distância, observando estas coisas».

P: Pai, ao receberdes o sopro da morte de Vosso Filho, aceitai a oferta da nossa vida, por Nosso Senhor Jesus...

P: XIII Estação — Jesus é descido da cruz e entregue a Sua mãe. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

P: Segundo São João (19,38), «José de Arimateia, que era discípulo de Jesus, mas secretamente, por medo dos judeus, pediu a Pilatos que lhe permitisse retirar o corpo de Jesus. Pilatos o permitiu. Vieram, então, e retiraram Seu corpo».

P: Jesus, mostrai‑nos como precisamos de Vós pra vencermos o medo e procuramos o Vosso corpo, vivo na Comunidade, na Palavra e no Sacramento; Vós que sois Deus...

P: XIV Estação — Jesus é sepultado. Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, Senhor Jesus Cristo.

R: Que, pela Vossa santa cruz, remistes o mundo.

L: Segundo São João (19,39‑42), além de José de Arimateia, «Nicodemos, aquele que anteriormente procurara Jesus à noite, também veio, trazendo cerca de cem libras de uma mistura de mirra e aloés. Eles tomaram então o corpo de Jesus e o envolveram em panos de linho com os aromas, como os judeus costumam sepultar. Havia um jardim, no lugar onde ele fora crucificado e, no jardim, um sepulcro novo, no qual ninguém fora ainda colocado. Ali, então, por causa da Preparação dos judeus e porque o sepulcro estava perto, eles depositaram Jesus».

P: Jesus, pra onde foste? Pra onde vamos nós? É hora de trevas, silêncio e ausência. Mantende viva em nós a chama da fé, enquanto velamos, na esperança da Luz do Vosso amanhecer; Vós que sois Deus...

 

 

D. Antonio Napolioni: «Os profissionais pedem o apoio da oração».

22480030-cremona-cathedral-and-square-italy.jpg

Sé de Cremona

«— Fez diferença ser um sacerdote no hospital?

— Senti um grande afeto. Os profissionais pedem o apoio da oração. Continuarei a rezar por eles e com eles. A arma poderosa é mantermo-nos espiritualmente lúcidos, confiarmo-nos ao Senhor, que é pai também nestas situações».

Traduzi de avvenire.it: «Maria Chiara Gamba, Cremona, quarta-feira, 18 de março de 2020 — O pastor de Cremona: “Encontrei grande humanidade e competência. Todos os padres estão a fazer bem aquilo que é possível; permanecer à disposição das pessoas, sobretudo as mais sós”. A voz está ainda cansada, nas suas palavras lê-se a fadiga de quem, pouco a pouco, se reergue. Mas a força anímica e o espírito do homem de fé prevalece. D. Antonio Napolioni, bispo de Cremona, afetado pela Covid–19, regressou, após 10 dias hospitalizado, ao paço episcopal, onde continuará em quarentena. Tinha-se recuperado no Ospedale Maggiore di Cremona, sexta-feira, 7 de março, revelando sintomas de uma pneumonia compatível com o coronavírus. Poucos dias depois, tinha chegado a confirmação mas as terapias já tinham começado pra combater esta praga, que aflige também a sua cidade. Segunda-feira, Napolioni regressou a casa, seguido pelo afeto da sua diocese, e ontem [17 de maio de 2020], por meio das redes sociais, publicou também uma mensagem, em que sublinha que “a Páscoa restaurará a esperança e nos porá, juntos, a caminho”».

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub